Publicações

Rumo ao “Desmatamento Zero” e a restauração florestal na Amazônia
Maranhense

A Amazônia pode desaparecer no estado do Maranhão, apontam cientistas.

Desmatamento Zero no Pará

Esta publicação do Imazon traz recomendações sobre como atingir o desmatamento líquido zero baseado em três pilares: redução da área desmatada, aumento de produtividade/intensificação de pastagens e restauração florestal.

Overview of Amazon deforestation 2016

Este trabalho produzido pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) apresenta um panorama do desmatamento na Amazônia no ano de 2016.

Amazon Highlights

O objetivo deste trabalho é apresentar a importância de se alcançar o desmatamento zero na Amazônia. Tanto os considerados ilegais, quanto os desmatamentos legais. O trabalho foi produzido pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) com o apoio do Climate and Land Use Alliance.

Avaliação e modelagem econômica da restauração florestal no estado do Pará

Na publicação “Avaliação e modelagem econômica da restauração florestal no estado do Pará”, a empresa de consultoria Terra nativa e o Imazon mostraram que o custo da restauração no estado do Pará pode ser reduzido, ou até mesmo superado, pelos benefícios econômicos que a restauração pode proporcionar. No melhor cenário, o custo de implantação da restauração para sanar o déficit de APPs foi estimado entre R$ 2,5 a 3,5 bilhões, ao longo de 11 anos. Porém, esse custo pode ser reduzido em até 74% se considerarmos os retornos econômicos com a venda de créditos de carbono.

Diagnóstico dos fatores chaves de sucesso para a restauração da paisagem florestal: Município de Paragominas e Estado do Pará

Como parte de um esforço global para ampliar a escala da restauração, a Conserve Brasil e o Imazon aplicaram pela primeira vez na Amazônia o “diagnóstico dos fatores chave de sucesso para a restauração da paisagem florestal”, que é um dos principais componentes da Metodologia de Avaliação de Oportunidades de Restauração (ROAM), criada por WRI e IUCN para orientar tomadores de decisão, especialistas e implementadores de ações de restauração da paisagem florestal. O diagnóstico contemplou três grandes temas (motivar, facilitar e implementar), subdivididos em 31 fatores chave. Foi realizado de forma aprofundada no município de Paragominas e de maneira simplificada no Estado do Pará. Para a elaboração das estratégias foram utilizados os padrões abertos para a prática da conservação desenvolvidos pela Aliança para as Medidas de Conservação, alinhadas com o Planaveg.

Oportunidades para restauração florestal no Estado do Pará

O objetivo deste trabalho é compilar e sistematizar as informações geradas no âmbito do projeto acima mencionado, para auxiliar na identificação de oportunidades para RPF, além de recomendar ações que podem ajudar a dar escala à restauração no estado do Pará. Dessa forma, visa contribuir com os primeiros passos da aplicação da ROAM no estado e promover a mobilização em torno do tema, gerando informações que possam guiar políticas públicas para o aumento da cobertura florestal associado à geração de benefícios ambientais, sociais e econômicos à comunidade.

Uma avaliação de 22 anos do desmatamento e restauração em florestas ribeirinhas na Amazônia brasileira

Brazilian environmental law imposes more restrictions on land-use change by private landowners in riparian forests than in non-riparian forest areas, reflecting recognition of their importance for the conservation of biodiversity and key ecosystem services. A 22-year time series of classified Landsat images was used to evaluate deforestation and forest regeneration in riparian permanent preservation areas over the past two decades, focusing on the municipality of Paragominas in the state of Pará in eastern Amazonia.